História

Com este assalto à história do boxe Sporting Clube Farense, pretendemos apenas, que outros se nos juntem no relato provocado não apenas pela dimensão temporal como pelos hiatos ocorridos desde Jerónimo dos Santos a Luís Silva. Por isso, bem hajam todos aqueles que de uma forma ou outra tragam à luz factos comprováveis da história do boxe no Sporting Clube Farense e porque não no Algarve…


Com 68 anos de existência a secção de boxe do Sporting Clube Farense foi criada por Jerónimo do Santos (considerado o pai do Boxe no Algarve), a 2 de Abril de 1943 na sua sede na Rua do Compromisso.

Campeão regional e nacional de médios, Jerónimo dos Santos promoveu uma das épocas de maior relevo do boxe algarvio como formador, promotor e empresário de espectáculos de nível nacional e internacional. 
Da sua escola ecoam nomes como: Damião dos Santos da Encarnação, Joaquim Burro, Chico Pedro, Belchior, Mário da Encarnação, Hélder Reis, Diogo «o nervoso peso mosca», Hélder Grelha (do boxe e luta-livre), João Carlos «o Bajolo», todos de Faro. De Monchique: José Luís (do boxe e luta-livre); de Tavira: Carlos Rocha (do boxe e luta-livre); de Olhão: Eduardo dos Santos, Salazar, João Ramires e o Dr. Manuel Guita; de Loulé: Pires Guerreiro; de Boliqueime: José Rosa Brito, Salud, Fabien, Jacques Pestana - possíveis descendentes de emigrantes em França (segundo o Dr. Teodomiro Neto in Jornal «O Algarve» - 11/1987), entre outros.

Combate realizado no Jardim da Alameda (Pirâmides 82)
Em  Faro  o  boxe  realizava-se na Pontinha, no Teatro Lethes no Largo das Mouras Velhas, na Alameda e na praia de Faro, além de em Loulé e Olhão

José Luís «o boxeiro»
José Luís «o boxeiro» ou «o pastelão» como também era conhecido entre os boxeurs é relatado no jornal «O ALGARVE» pelo cronista Rodrigues da Conceição que escreveu:

Box – na passada terça-feira (16-03-43), no circo Maravilhas perante grande assistência disputou-se um combate entre o nosso conterrâneo José Luís e António Correia de Lisboa.
José Luís mais pesado e mais duro, comandou sempre o combate, tendo vencido aos pontos.
Digno de registo o estoicismo com que António Correia soube suportar os duros golpes de José Luís, respondendo até, sempre que para isso tinha oportunidade. Por esse motivo este rapaz conquistou a simpatia do público.
A dureza e o peso de José Luís exigem adversário de mais categoria para que possamos avaliar o seu valor.

João Carlos «Bajolo»
Não obstante, foi o meio-leve João Carlos «o Bajolo» que deu seguimento à secção de boxe do Sporting Clube Farense.
Do seu pupilado saem nomes sobejamente conhecidos da jovem população Farense, como: Marcelino Rita, Jaime Simões «o Roi»; os gémeos Luís Filipe e Filipe Luís; Fernando Paixão (57 kg – Pluma); Dinis Correia «o Zé da Águia»; Fernando Arsénio «o Fernandinho»; Jorge B. Fernandes; João Carlos Oliveira (54 kg – galo) e Carlos Alberto Ramires Félix (Olhão).
O único pugilista a bater João Carlos, por duas vezes consecutivas, foi um outro Algarvio residente em Lisboa e campeão nacional, e um dos maiores expoentes da modalidade, o Prof. Silva Marques, licenciado em Educação Física (ex-Inspector Coordenador do Ministério da Educação). Uma no Parque da Pontinha em Faro, a 01/06/47 e outra (desforra) a 16/03/48, pelo aniversário do Ginásio Clube Português em Lisboa. Combates publicitados in Jornal «A Bola».

Foi todavia, Marcelino Rita campeão regional, vice-campeão nacional, seccionista e treinador de 3º grau que deu continuidade ao trabalho de João Carlos. Em 1988, após ter ido a França tirar um curso de boxe, Marcelino Rita é empossado pela Federação Portuguesa de Boxe como 1º Director Técnico Regional da jovem Associação de Boxe do Algarve. A ele se deve igualmente o sonho e a concretização da Associação de Boxe do Algarve (ABA).
Recorde-se que a Associação de Boxe de Faro - Algarve foi elaborada no Sporting Clube Farense e teve até 2011 como sede a porta 5 do estádio deste clube como refere o Diário da Republica datado de 14 de Outubro de 1986.
A 18 de Junho de 1986, Marcelino Cabrita Rita, Joaquim António da Palma (Director do SCF) e António Leal Carlos (Advogado filho de João Carlos o “Bajolo”) com o apoio de Mário de Abreu Alves “Walgood”, presidente da Associação de Boxe de Portalegre, funda a Associação de Boxe do Algarve. Foi seu primeiro presidente Ramiro de Almeida Moura, mais conhecido pelo “Mourinha da Garbe”.

  
António Revés «Tó o preto»
Marcelino Rita, lança nomes na cena pugilistica nacional como: Francisco Direitinho, Carlos Delgado, Jacinto Rosa, João Pina «o homem da noite», Arlindo Ribeiro «o Pasteleiro» (67 kg meio-médio), António Revés «Tó o Preto», José da Conceição «o Pilas» e Vítor Fernandes «o Relojoeiro».
Ao serviço do Sporting Clube Farense, Marcelino Rita rompe com o boxe no masculino e por assim dizer com os preconceitos de uma sociedade machista. Posteriormente, é seguido por Vítor Fernandes: Maria Duarte (irmã do «Pilas»), Sílvia Ramos e Lígia Caniço (filha do Prof. Fernando Caniço). Já em ao finalizar do século XX em 1999 é Eunice Miranda que faz as honras da classe pugilistica feminina no Sporting Clube Farense. Curiosamente expulsa do Farense em processo disciplinar em 2002.
Marcelino Rita, é igualmente o 1º treinador Algarvio a ser castigado disciplinarmente pela FPB com seis meses de suspensão a 15/05/84, por má conduta com o pugilista António Revés (SCF), em consequência da disputa do campeonato nacional no Pavilhão do Belenenses a 26-27/04/86.
A Associação de Boxe de Portalegre (ABP), no seu comunicado nº 01/86 de 25 de Agosto, advertia o seccionista do SCF, por ter apresentado a combater sem estar filiado o pugilista mosca José F. Duarte Conceição (SCF) no dia 26/07/86 em Silves, o qual foi punido com uma multa de 250$00. Já no seu comunicado nº 09, a ABP, louva o Sporting Clube Farense e o pugilista médio ligeiro (77 kg) António Revés (SCF).

Director Técnico para o Algarve de 1996 a 2000, Vítor Fernandes, relança a modalidade no Algarve com a implementação de cursos para treinadores e árbitros de boxe, à semelhança do curso realizado em 1992 nas Pedras D′el Rei. Tal facto, possibilitou a descentralização do boxe de Faro, à semelhança do que tenha preconizado Marcelino Rita coma a criação de clubes na Guia, Albufeira e Algoz.

Fotografias do curso para treinadores e árbitros de boxe, realizado no S.C.F.
Presidente da FPB o Sr. Carlos Matos e o Prof. Dr. Silva Marques (antigo campeão de boxe)

António Bento, Apolinário Geada e Prof. João Gato
Walter Pestana e Paulo Marchão
Arlindo Ribeiro e Pedro Pereira
Foram pugilistas de Vítor Fernandes no Sporting Clube Farense (SCF): Eleutério Domingos, os irmãos Lidório Lopes e Élio Lopes, Paulo Piteira, Cláudio Araújo, Miguel Santos, Paulo Sérgio, Rui Silva, os irmãos Marco Encarnação (pugilista e treinador adjunto) e Nelson Encarnação, Luís Silva «o Sardinha», Rui Sousa «o Valdir», Carlos Ferreira, Miguel Magalhães «o Mike», João Gago, Ângelo Domingos, Edgar Carmo, Cristiano Domingos, Sérgio Magalhães, Fábio Manjua e os Internacionais/A Nuno Henriques «o Suíça» e Abelo de Jesus. Putilo Volodimirovich, Aleksey Sklyarov (Alex), Andrey Ostanin, Yuriy Kuts (alto currículo no boxe da Ucrânia), entre outros ucranianos que passaram pelo Sporting Clube Farense.


Vítor Fernandes e os seus pugilistas 
Marco de Encarnação
Nos anos 90 o farense é palco de verdadeiras maratonas de boxe amador tendo como clubes participantes o Ginásio Clube Olhanense; o Clube Desportivo Marítimo Olhanense, o Elvas Futebol Clube, Academia Elvense, Núcleo Desportivo e Recreativo da Rádio Seixal e o Sporting Clube de Portugal entre outros. Foi uma época em que o clube chegou a fazer receitas em bilheteira, mas sempre sob a análise do então Director das Amadoras o Sr. Fernando Oliveira que alertava sempre para o exorbitante nº de combates (8/12/15 a 20 numa só sessão). De salientar o facto de a 29/06/96 o SCF ter sido palco da organização do Dia Olímpico por parte da FPB.
Farense Reivindica Taça de Portugal
Abelo de Jesus é um dos melhores classificados de sempre no boxe amador em Portugal, ao classificar-se em 5º lugar no Campeonato da Europa em Minsk na Bielorússia. Abelo de Jesus e Nuno Henriques do SCF, são dois dos três melhores pugilistas Algarvios até ao presente e dos melhores ao nível nacional de sempre.
Em 1999, surge um outro «estrangeiro», François Soto, de nacionalidade francesa e casado com uma senhora portuguesa. Com mais de 400 combates, campeão amador de Franca, Paris e militar, campeão profissional de França e Paris, chegou a colaborar na preparação do Abelo de Jesus, Nuno Henriques e António Bento «Bento Algarvio» (GCO), como treinador adjunto no Sporting Clube Farense.
Em 2003 esteve também no Algarve o técnico Búlgaro, Iván Filchev Dimitrov, direccionado pela Federação Portuguesa de Boxe. De Janeiro a Maio, por quatro meses leccionou boxe no Sporting Clube Farense sob a observação de Vítor Fernandes, fase que terminou com a Gala Internacional de Boxe no Hotel Montechoro em Albufeira a 2 de Maio do respectivo ano.

Contrária à Lei de Bases do Sistema Desportivo Português e aos Estatutos da Associação de Boxe do Algarve a criação da secção de boxe do Farense Futebol Sad em 2005 (de acordo com o oficio ABA nº 04/05 de 18/03/05) apenas foi possível graças à pressão exercida pela então direcção da ABA na pessoa do Sr. João Pina. Depois, em 2008 existe a tentativa de coligação entre a secção de Boxe do Farense Futebol Sad por extinção deste departamento de Futebol e a secção de Boxe amador do Sporting Clube Farense. Coligação que se dá apenas em 2010 por força da nova direcção do clube. Infelizmente Abelo de Jesus ex-Farense Futebol Sad extingue essa união que em 2008 se denominou Acordo de União (The Ringue/A Aliança).


De salientar o trabalho desenvolvido em 2010 por Luís Silva e sua equipa, à semelhança de outras épocas em que a sessão nem lugar tinham para treinar, vale de facto a pena comparar o trabalho desenvolvido… bem hajam em nome da modalidade e de um clube que os farenses tanto merecem.


A secção de boxe do S.C.F. reabriu no dia 17.01.2011, com condições necessárias para o funcionamento da modalidade.
A nova estrutura é constituída por o seccionista João Forja, treinador Luís Silva, treinador adjunto e atleta Miguel Santos e o Designer e atleta Rúben de Matos.
O atleta Joel Nunes consagrou-se dia 23.07.2011 campeão regional de seniores iniciados e  dia 27.10.2011 vice-campeão nacional de Seniores iniciados.
Antes de finalizar o ano 2011, o atleta Andrey Ostanin é campeão da taça do Algarve 2011, ficando apurado para taça de Portugal 2011.



Títulos Regionais e Nacionais

Títulos Internacionais

Histórico dos Logótipos e Cartazes
Primeiro Logótipo
Segundo Logótipo
Logótipo usado durante a aliança das duas secções de boxe
Primeiro Cartaz
Segundo Cartaz